Precisamos falar sobre consumo consciente

No final do mês passado aconteceu na Universidade Feevale o Moda Insights, evento que busca trazer para o debate acadêmico temas referentes ao mercado da moda. Na edição desse ano, o tema proposto era o slow fashion, sustentabilidade e consumo consciente; temas que são muito importantes não só pra quem estuda moda mas também para nós consumidores em geral. 

Entre as palestrantes e os cases apresentados (muito bons e fontes de inspiração incríveis) teve um que chamou muito a minha atenção e que me fez ter vontade de trazer o assunto para o blog. Quem me acompanha a mais tempo sabe que nunca fui uma pessoa muito consumista, não só por questão financeira, mas porque fui educada a pensar sempre na necessidade antes de comprar só por comprar (obrigada mãe!). Também sempre tive muito incentivo a usar a criatividade e por isso sempre gostei de criar e customizar tudo, transformando coisas que eu já tinha em coisas novas (sejam elas roupas ou outros objetos). E isso fazia (e ainda faz) muito sentido pra mim.


Mas vamos voltar ao início. Uma das palestrantes na primeira noite do Moda Insights foi a Fernanda Simon, coordenadora brasileira de um movimento global chamado Fashion Revolution (conheçam o site AQUI, é muito legal), que alguns de vocês já devem ter ouvido falar. Resumindo, o objetivo desse movimento é aumentar a conscientização sobre o verdadeiro custo da moda e seu impacto em todas as fases do processo de produção e consumo. Eu já tinha visto alguma coisa desse projeto, mas depois da apresentação da Fernanda eu abri ainda mais meus olhos para o assunto e a importância dele. 

Hoje a gente vive em uma realidade onde marcas lançam coleções novas a cada dois ou três meses, onde vemos blogueiras e influenciadores apoiando, divulgando e incentivando um consumo compulsório de roupas de baixa qualidade e preços sem lógica. Sim, sem lógica, porque não dá pra pensar que uma blusa que custe R$15 não tenha sido feita por mão de obra escrava, ou que o material utilizado não poluiu solo e água. Pode ter certeza que alguém está pagando pelo preço daquela roupa.


Essa é a bandeira levantada pelo Fashion Revolution, que você se pergunte: “Quem fez as minhas roupas?”. Olhe a etiqueta da roupa que você está usando agora, veja onde ela foi feita (não a marca e sim a cadeia de produção por trás dela) e tente imaginar por quantas mãos, por quantas pessoas aquela peça passou até chegar em você. Peças 'importadas' ou com aquele clássico “fabricado na China” na etiqueta são tão comuns pra nós hoje que nem nos importamos. Mas está na hora de repensar isso e ver com outros olhos as marcas que vendem isso. Questione, se informe e reflita que tipo de moda você quer apoiar.

Pra finalizar o post vou deixar abaixo o vídeo Fashion Experience, que foi uma ação feita no centro de São Paulo com a ideia de provocar as pessoas em relação à produção de suas roupas. Impossível ficar indiferente ao tema depois de assistir.


Desculpem se o post ficou muito longo, depois de tanto tempo sem postar acabei me empolgando. Mas como estudante de moda e blogueira não poderia deixar de compartilhar isso com vocês. Não sou contra as grandes marcas, nem contra o mercado de moda em si, mas acredito que muita coisa possa ser melhorada e adaptada às condições do nosso planeta. A moda tem uma força muito grande, nos expressamos através dela e acredito que podemos usar a moda para o bem. 

Melhores tecidos para o inverno

Oi gente! Ainda nem é inverno oficialmente e aqui no sul já estamos enfrentando dias com temperaturas perto de zero graus. E haja roupa pra se manter quente nesse frio, né? Pensando nisso tive a ideia de trazer pra vocês uma listinha com os tecidos que mais esquentam, ideais para o inverno.

O objetivo desse post é mostrar as melhores opções para o frio, para que a gente possa ficar quentinho sem ter que usar mil peças de roupa.

1. Lã


Esse é um tanto óbvio, mas vale lembrar. A lã natural funciona como um isolante térmico, que não deixa o calor do corpo 'sair', mantendo a temperatura corporal. Existem vários tecidos diferentes feitos a partir da lã e todos eles são ótimos para o inverno. Uma dica: sempre chequem a etiqueta de composição das peças, pois existem algumas que são anunciadas como lã mas que na verdade são de alguma outra fibra sintética.


2. Couro


O couro também é outro clássico do inverno. O que faz ele ser sempre lembrado na estação é o fato de ele ser impermeável e não deixar passar o vento, já que não é um tecido tramado. Vale lembrar aqui que por si só o couro não esquenta muito, mas só de não deixar passar o frio já ajuda bastante.


3. Tweed


O Tweed se tornou famoso nas mãos de Coco Chanel e desde então se tornou um clássico da moda. Ele é tramado com fios mais grosseiros, originalmente feito de lã, o que deixa o tecido mais grosso e pesado. Hoje podemos encontrar peças feitas com fios mais suaves e macios e de outros tipos de fibras, como poliéser, acrílico, mas pelo tipo de tecelagem ele é tipicamente um tecido quente, próprio para o inverno.


4. Veludo


Sim, o veludo está na moda de novo! Veludo é aquele tecido macio, com a superfície coberta de pelos bem curtinhos. Hoje o tecido pode ser feito de vários tipos de fibras, mas praticamente todos mantém as características principais do tecido: o brilho e a maciez. Pelo processo como é tramado, o veludo se torna um tecido quente, mas com bom caimento, o que faz ele ser um dos preferidos para vestidos de inverno.

Gostaram das dicas e inspirações? Esses são alguns dos tecidos mais indicados no inverno, além desses também podemos usar peles, que estão super na moda, outros tipos de malha, moletom e soft, que também são ótimos,

Me conta nos comentários qual é o teu preferido!

Fonte das fotos: Pinterest

Pra inspirar: 20 looks com suede/camel

Oi gente, tudo certo?

Vocês ainda tem alguma dúvida de que o suede e a cor camel (ou caramelo) são a trend da vez? Bom, se tu não está convencida hoje eu vim fazer isso mostrando 20 looks lindos de inspiração.

O suede é aquele tecido com a textura tipo de camurça, bem macio e ganhou força nas coleções do verão passado e continua firme e forte neste inverno. Por ter um tom terroso, ele é super versátil e pode combinar com diversos estilos e composições diferentes. E pra quem não quer arriscar muito nas roupas, o camel é aposta certeira em acessórios, como bolsas e sapatos.

Confere os looks e te inspira!











Imagens: Pinterest

Look: calça de cintura alta. casaco de pelo e bota

Oi gente, tudo bem?

Finalmente o frio chegou por aqui. Tivemos uma semana bem gelada e eu já comecei a pensar em mil looks de inverno. Inclusive já até fui comprar tecidos pra fazer algumas peças.

No fim de semana consegui fotografar um dos looks que usei, vestindo peças que são as minhas coringas e companheiras durante todo o inverno: a calça de cintura alta preta, botinha preta e casaco de pelo.

Quando faz muito frio a peça que logo vem na minha mente é esse casacão de pelo, porque ele é super quente e aí não preciso colocar mil peças por baixo. Ele é aquele mesmo que eu fiz no inverno do ano passado e que já apareceu em outros looks aqui no blog.

A calça é a minha favorita, da loja Youcom, é a calça que melhor veste e que tem a cintura bem alta mesmo. A bota preta é da Ramarim, que eu comprei na Feira da Loucura por Sapados desse ano.


Nesse look eu visto: 
Calça: Youcom
Casaco: eu que fiz
Bota: Ramarim
Blusa: Te quiero
Óculos: Ray Ban